Diagnóstico da Nacionalidade luxemburguesa

Compartilhe em:

Olá, eu sou a LULU, inicie o diagnóstico no diálogo abaixo para ver quais as possibilidades de seu acesso a nacionalidade luxemburguesa. Um caso em especial expirou em 2018, mas dependendo de onde você se enquadra na lei, pode haver possibilidade, já que os demais casos estão em aberto ainda. Vamos lá?

Clique aqui para ver osTermos e Condições do serviço.

Lulu – Consultora cidadania (beta)

Olá eu sou a Lulu, a consultora de Inteligência artificial da CCBLUX. Vamos iniciar o diagnóstico da sua possibilidade de acesso a nacionalidade luxemburguesa.

Você tem certeza que tem um ancestral luxemburguês? (escolha abaixo a opção e clique em ENVIAR)

Copyright © 2021 CCBLUX Consultoria Ltda

8 respostas para “Diagnóstico da Nacionalidade luxemburguesa”

  1. Olá, me chamo Carla Ruthes de Oliveira e moro em Curitiba. Tenho como ascendentes Nicolau Bley, pai de Suzana Bley, casada com Leonardo Greim. Esses últimos são meus tataravós, avós maternos do meu bisavô Jordão Ruthes. Jordão Ruthes é avô do meu pai José Adilce Ruthes. Tenho direito à cidadania luxemburguesa?

    1. Preciso que vc me esclareça a descendencia :
      O Leonardo Grein gerou quem?
      Que por sua vez gerou quem?
      Eu suspeito que a sua mãe possa ter direito. Mas coloque a linha de descendencia que confirmo para você (desculpe não respondermos antes, estávamos com problemas de saúde).

  2. Meu amigo achava ser alemão, descobriu que era de Luxemburgo. Minha família toda acha que é italiana neta de José Leon filho de José Leone e Novelli. Ainda acho q é italiana pelos Josés, mas meu amigo viu muito gente Leon em Luxemburgo e pediu pra eu entrar em contato.

    1. Olá Fernanda, essa é uma dúvida muito comum. Na verdade pode ser de QUALQUER país europeu. Para conseguirmos fazer um diagnóstico você terá que montar a árvore genealógica da família e identificar se veio de Luxemburgo (ou de outra parte). Você terá que ir pegando as certidões de nascimento e casamento de cada ancestral e ver se ali menciona de onde é a origem.

  3. Meus antepassados por parte de mãe são imigrantes da região de conflito territorial, que posteriormente veio a chamar-se Luxemburgo. O pai do filho imigrante, era rebelde morto naqueles conflitos. Então não sabemos se temos como buscar a cidadania Lux

  4. Olá, minha tataravó é Angela Muller, nasceu em 05/02/1819 em Moersdorf/Luxemburgo. Era filha de Johann Muller e Catharina Hastert. ANGELA MULLER casou com o alemão Michael Fusiger na Prussia, lá tiveram a minha trisavó Susanna Fusiger em 1845 em Metzdorf (Prussia). Vieram para o Brasil por volta de 1858 (Rio Grande do Sul). Susanna Fusiger casou no RS /Brasil com o imigrante da Prussia Johannes Strieder, tiveram meu bisavô Peter Claver Strieder, pai do meu avô João Strieder Sobrinho, meu pai Benedicto Strieder. Agradeço orientação!

    1. Olá Sandra, bom dia. Obrigado pelo seu contato. Infelizmente neste seu caso você se enquadra apenas no artigo 89 da lei da nacionalidade. Este artigo permitia que uma pessoa que tivesse uma ancestral luxemburguesa viva em 1900 pudesse requerer a recuperação da nacionalidade, já que MULHER luxemburguesa não transmitia a cidadania adiante na época.Mas este artigo vigou disponível de 2008 a 2018. Hoje não é mais possível invocá-lo para você. De 2019 para frente só tem direito os filhos e netos da luxemburguesa, ou seja, sua trisavó Susanna e seu bisavô Peter Claver. Se um deles estivesse vivo ainda, aí seria possível reclamar a nacionalidade. Mas pela idade creio que já estejam falecidos.
      Portanto Sandra, infelizmente você não pode mais reclamar a nacionalidade por esta imigrante. Lamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.